Appalachia Waltz

por Natalia Maeda

Chove lá fora. A noite está calma e fresca. Eu e minha prima descobrimos que o cloro de um produto de limpeza vazou e manchou o sofá vermelho aqui de casa. Jantamos juntas um macarrão jardineira e, de sobremesa, uma colher de doce de leite. Na penumbra da sala, conversamos sobre a brevidade da vida, sobre família, amor e tudo mais que tenha um sentido maior nesses tempos em que o mundo lança seus últimos suspiros. Enquanto alguns assistem a reality shows, outros choram o caos provocado por terremotos e enchentes. E meu coração se aperta com Appalachia Waltz. Ainda chove, mas uma estranha serenidade começa a entrar pela minha janela…

Anúncios